20210403_093116.jpg

UMA VIDA SEM DESAFIOS NÃO VALE A PENA SER VIVIDA

ETAPA | 1

SETÚBAL

ETAPA | 2

PALMELA

ETAPA | 3

SESIMBRA

DSC_0432.JPG
|APRESENTAÇÃO

O Arrábida Challenge é um desafio quase feito na sua totalidade no interior do Parque Natural da Serra da Arrábida, passando ainda pela Serra do Louro e Serra de São Luís.

Todas as etapas vão passar pelos os pontos mais atrativos do Parque Natural da Serra da Arrábida desde Palmela, Azeitão, Lagoa de Albufeira, Sesimbra, Setúbal.

Os participantes têm um intervalo de tempo para efetuar cada etapa, podem escolher o(s) dia(s) e o(s) horário(s) em que pretendem cumprir este desafio.

Este desafio é realizado em total autonomia e assumindo toda a responsabilidade sobre o seu comportamento como cidadão e praticante de ciclismo, em especial no que se relaciona com a sua segurança e com as dos demais utilizadores da via publica e no cumprimentos das normas sanitárias em vigor.

A marcação das etapas, o registo dos dados, assim como a validação dos objetivos conquistados e da performance dos atletas é feita através de dispositivos eletrónicos (GPS) e plataformas digitais desenvolvidas para este fim.

Toda a gestão da comunicação e verificação de dados é feita pela equipa responsável pelo desenvolvimento e gestão da Arrábida Challenge.

Todas as etapas vão ter uma classificação geral, masculinos e femininos, e não por escalões, uma vez que se trata somente de um desafio de forma lúdica em que o mais importante é fazer desporto.

 

O tempo a ser registado é o tempo em movimento, a este tempo vamos descontar cerca de 5 minutos, uma vez que em alguns casos há pequenas paragens ligeiras.

Os três primeiros classificados de cada etapa têm direito a um prémio ainda por definir, os restantes atletas recebem um diploma virtual.

O Arrábida Challenge é divido por 3 etapas, Setúbal, Palmela e Sesimbra.

A primeira etapa a iniciar e a finalizar na capital de distrito Setúbal, cidade piscatória onde vais ter a tua espera uma agradável gastronomia como o bom peixe assado e os vinhos da região para acompanhar, isto só depois do desafio.

Como pontos atrativos da cidade não pode deixar de conhecer o Mercado do Livramento, Avenida Luísa Todi, e toda a zona envolvente do Parque Urbano de Albarquel, nunca esquecendo as magníficas praias.

Segunda etapa, Vila de Sesimbra esta vila piscatória é conhecida pelas suas praias e bom peixe. O peixe-espada preto, pescado nas águas profundas junto ao Cabo Espichel. Inserida no Parque Natural da Serra da Arrábida. Como tal, não se admire se no campo encontrar algum javali ou uma cotovia, ave que dá nome a uma das localidades que fazem parte do concelho de Sesimbra. A vila é também banhada por um mar calmo e com um profundo azul que se funde com o céu. 

Terceira e última etapa, Vila de Palmela está profundamente ligada à sua importância como região vitivinícola. Desde os tempos mais remotos que se pratica a cultura da vinha, por a região reunir as condições adequadas de solo e clima para a produção de grande variedade de vinhos.

Esta última etapa termina com a subida até ao miradouro do Castelo de Palmela, ao chegares aqui vais poder apreciar toda a beleza do Parque Natural da Serra da Arrábida e vais-te sentir orgulhoso do teu feito.

No decorrer do desafio vai passar pela localidade de Vila de Azeitão pertence ao distrito de Setúbal, colada na serra da Arrábida, e é muito conhecida por acolher grandes nomes da produção de vinhos, pelo queijo e pelas doces tortas de Azeitão. Três coisas que, sem dúvida alguma, se tornam em três fortes razões para visitar esta bonita vila.

Para além das várias vilas vamos passar pelas Aldeias da Arrábida sendo elas as Aldeias da Piedade, de São Pedro e da Portela são conhecidas genericamente por Coina-a-Velha, que é um dos lugares mais antigos de Azeitão como atesta o seu nome e as ruínas do seu castelo.

Aldeia da Piedade

A denominação de Aldeia da Piedade poderá estar relacionada com o nome de uma capela que existiu naquele local. É bastante bonita esta aldeia. As suas casas fazem um bonito conjunto extremamente bem enquadrados na paisagem que a rodeia. Como sala de visitas apresenta o característico largo do poço, sala de convívio das gentes da aldeia e centro da sua vida diária. Por ali se vêem edifícios dos sécs. XVI, XVII, XVIII e XIX, portados redondos, cantárias rústicas, etc.

Aldeia de São Pedro

Vem-lhe o nome da capela que está perto. Alguns portais de cantaria redonda, mostram a antiguidade da Aldeia, talvez do século XVI , ou talvez anterior como o é a capela . Esta aldeia tem cerca de 10 a 12 famílias.

Aldeia da Portela

É uma aldeia muito pequena, constituída por cerca de quinze famílias. Ninguém sabe quem primeiro construiu a primeira casa naquele sítio, mas  vem- lhe o nome do facto de estar no  cume da  elevação e de ai – nessa portela – passar a estrada para o Parral e para El Carmem. O mesmo extracto da carta de Dom Pedro I, transcrito quando se fala da Aldeia de Oleiros, cita também as portelas. Desconheço, se na altura, isto é, em 1366, já estaria povoado o “cume da serra das portelas”, da qual fala o citado documento.

Aldeia de Oleiros

Na Aldeia de Oleiros, merce destaque a Capela de S. Marcos, do Séc. XVI assim como o Chafariz do Séc. XVIII.

Aldeia de Irmãos

Na Aldeia de Irmão, merce destaque a Capela de São Sebastião, assim como várias quintas desta zona. A denominação de “Aldeia dos Irmãos” (e não Aldeia de Irmãos, como actualmente) deve-se, segundo a tradição, ao facto de a construção da bela capela de São Sebastião ter sido consequência da acção desenvolvida por uns irmãos que habitavam aquela localidade.

Após apreciarmos as vilas e as aldeias, chega o momento mais aguardado de todos a subida à magnifica Serra da Arrábida um dos destinos de natureza mais completos de Portugal. A combinação das águas cristalinas do mar com o verde da vegetação da serra dá o colorido perfeito para uma evasão na natureza. Pode-se dizer, que a Mãe Natureza não se poupou a esforços para criar este “Paraíso”.

No interior da serra vai poder apreciar as mais conhecidas praias da zona como Praia do Portinho da Arrábida, Praia de Galapos, Praia da Figueirinha.

No ponto mais alto da Serra da Arrábida, se o dia estiver sem nubilidade vai poder observar toda a costa vicentina, seguindo em direção a Setúbal têm a 7ª Bataria do Regimento de Artilharia de Costa de Outão tem uma vista privilegiada. De um lado, observamos a Península de Tróia, e o Estuário do Sado. Do outro, o nosso olhar facilmente se deixa levar pelo Oceano Atlântico.

Hoje ao abandono, a 7ª bataria fazia parte da linha de defesa da costa atlântica e dos portos de Setúbal e Lisboa. Criada pelas Forças Armadas Portuguesas após a Segunda Guerra Mundial, esteve activa até 1998.

Bem no interior da Serra têm o magnífico Convento da Arrábida o Convento da Arrábida está à sua espera, escondido pela vegetação, numa configuração única no país. As celas estão espalhadas pela encosta e parecem uma aldeia eremita, o que carateriza este convento franciscano fundado em 1542 por Frei Martinho de Santa Maria. Existem, inclusivamente, celas escavadas nas rochas no topo da serra, junto à Ermida da Memória, local onde se estabeleceram os primeiros quatro frades arrábidos. Hoje em dia, o convento pertence à Fundação do Oriente e é necessário marcar a sua visita previamente, que pode acontecer às quartas feiras, aos sábados e aos domingos. Venha encontrar a espiritualidade pura no meio da serra da Arrábida.

Não esquecendo o que melhor se faz nesta região, o vinho o tão famoso Moscatel de Setúbal, pode encontrar estas iguarias por toda a zona com mais evidência nas vilas de Palmela e Azeitão, têm ao seu dispor várias adegas onde poderá visitar e adquirir alguns produtos.

Um dia provavelmente não vai chegar para conhecer este pequeno recanto, junte o melhor de dois mundos, desporto e passear e com certeza que vai ficar rendido a tudo o que o Parque Natural da Serra da Arrábida têm para lhe dar.

 
 
DSC_0276_edited.jpg

|GALERIA